Marcos Nimrichter não se prende a gêneros
O que dizem por aí...

"Prodígio que aos 4 anos tocava Bach e Chopin ao piano, Marcos Nimrichter não se prende a gêneros na estréia solo em seu nome pela Niterói Discos.

Seu disco autoral trafega do bailarino Frevo do Frei Frívolo Um tango para um amor, ladeado por ases como o Quinteto VIlla-Lobos, Paulo Sérgio Santos e Carlos Malta. Em faixas solo reflexivas, como Paráfrase, Nimrichter exibe o rico imaginário sem limite de conceitos, enquanto nas coletivas como Paixão de Carnaval, aberta por um batuque em câmera lenta, aptdão pela dissonância. Da entonação jazzistica (Resulátero) ao tremolo pop de Altay Velloso na única faixa cantada (Querubim), MN demole cercadinhos estéticos."

- Tarik de Souza
Jornal do Brasil
19/11/2002